Sexta-Feira
21/02/2020
Ensino Médio noturno vai acabar? Secretaria esclarece que é fake news e matrículas começam nesta quarta (27)
publicado em: 27/11/2019 - 08:55h

Governo anunciou que ao contrário do que alguns veículos divulgaram, vagas noturnas serão ampliadas


A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (SEED) esclareceu nesta terça-feira (26) que é mentira a informação que circulou sobre o final das aulas noturnas para o Ensino Médio no Paraná. De acordo com o governo, além de manter as atividades normalmente, no próximo ano as vagas para o período noturno serão ampliadas.


De acordo com diretor de planejamento e gestão escolar da SEED, Renan Compagnoli, as matrículas, que já eram para terem sido iniciadas, poderão ser realizadas a partir desta quarta-feira (27), após um problema no sistema.


Secretaria desmente boato

Em nota divulgada nesta terça-feira (26), a SEED confirmou a disponibilidade do período noturno para alunos do Ensino Médio da rede pública do Paraná em 2020. A informação surgiu após uma fake news circular sobre o cancelamento das aulas noturnas. 


Em nota a secretaria afirma:


– O Ensino Médio noturno não será encerrado. O planejamento escolar prevê, para o ano letivo de 2020, 100 mil vagas para o período. Se houver necessidade de abertura de vagas para atender mais alunos, a Secretaria garante a oferta.

– Buscando democratizar o acesso ao Ensino Médio, a Secretaria ampliou a oferta de vagas para o período diurno, uma vez que em muitos municípios a única opção do estudante era cursar o noturno.

– Nas instituições de ensino em que há disponibilidade de espaço físico (salas de aulas ociosas) no período da manhã e/ou tarde, os alunos poderão optar pelo Ensino Médio diurno.


Projeto para ampliar vagas noturnas

O Governo do Estado divulgou na última sexta-feira (22) que ofertará 100 mil vagas para o Ensino Médio regular no período noturno para o ano letivo de 2020. O número representa quase um terço do total de 340 mil alunos matriculados atualmente no Ensino Médio regular tanto no diurno quanto no noturno.


“A Educação e o Governo estão atentos ao fato de que há jovens que trabalham. Não queremos que esse jovem deixe de estudar por conta disso, pelo contrário. Por isso, fizemos um bom mapeamento da demanda por vagas e procuramos garantir essas 100 mil vagas para o período noturno”, afirma o secretário da Educação, Renato Feder.


A disponibilidade de vagas não significa que todas serão ocupadas, considerando que o número de matrículas no período tem diminuído ano a ano. Ainda assim, a Secretaria da Educação oferta as vagas, que devem ser ocupadas preferencialmente por estudantes que trabalham durante o dia.

Fonte: RIC Mais e AEN
Contato: [email protected]
VOLTAR
IMPRIMIR
ENVIAR
X
Meu Nome:
Meu E-mail:
Para:
E-mail:
Mensagem: